Pular para o conteúdo principal

Um pouco Marta, um pouco Maria

Somos um pouco Marta, um pouco Maria

Cada pessoa tem um pouco de Marta e Maria, vive e sonha todo dia.
Gosta de sonhar, gosta de aprender, de cozinhar e de comer.
Cada pessoa tem um pouco de Marta e Maria...
Sonha se frustra, tropeça, cai, sofre, chora...
Vive, canta, anda, trabalha...
Cada pessoa tem um pouco de Marta, tem um pouco de Maria
Sonha, ri, chora, todo dia
Marta e Maria, amor, alegria
Marta e Maria um complexo todo dia
Erra, acerta, tropeça, cai, se levanta
Cada pessoa tem um pouco de Marta, um pouco de Maria
Reconstrói sua história todo dia
Gosta do belo, gosta da poesia
A Marta vive apressada. A Maria pára e aprecia.
Hoje em dia somos Martas, somos Marias.
Planejamos, sonhamos, cantamos, ousamos, pedimos, oramos, choramos.
Cremos num Deus vivo que gera equilíbrio, paz, amor e alegria.
Somos um pouco Marta, somos um pouco Maria.
Empreendemos, ousamos, gritamos, não nos calamos.
Teve uma época em que eu era Marta vivia e corria todos os dias.
Quando aprendi a ser um pouco Maria, as coisas passaram a ter seu curso todo dia.
Passei a contemplar, passei a buscar Aquele que me completaria, que mudaria as dores transformando-as em alegria.
Viva a sua Marta, mas busque ser Maria.
Ore, peça, confie todo dia!

07/12/08

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Páscoa, muito mais do que chocolates

Páscoa, Pessach em hebraico é uma festa israelita, apresentada no livro de Êxodo como a festa dos pães ázimos (sem fermento). A festa da páscoa, na antiguidade, consistia em um banquete onde um cordeiro, de um ano, era comido junto com os pães ázimos e ervas amargas. As pessoas comiam em pé e estavam sempre prontas para viagens. Utilizavam o sangue desse cordeiro para passar nas portas das casas dos judeus, de forma que o anjo da morte passasse direto e os seus primogênitos não sofressem com a morte. Essa festa nasceu durante a fuga dos judeus do Egito, onde eram mantidos como escravos. A primeira festa da Páscoa simbolizava a libertação de um povo mediante a ação de Deus. Os pães sem fermento e o fato de comerem em pé, demonstrava a pressa para a saída do Egito. O sangue nos umbrais indicava o acordo de Deus com Moisés de não matar nenhum primogênito judeu. Este foi o último sinal que Deus deu ao Faraó através de Moisés para que seu povo, o povo escolhido, fosse liberto da escravidã…

Para a Amiga

Às vezes é importante ligar só pra chorar...
A gente percebe que nao é de ferro...
A gente enxerga que é de carne... e, que, ainda existem pessoas no mundo que querem ouvir nem que seja o nosso choro...
Não nascemos para sermos sozinhas, nem tão valentes quanto parecemos... mas, Deus nos chamou para termos coragem de enfrentar as adversidades e nos deu capacidades de conseguir enxergar a transformação das maldições em bençãos...
Olho para cima e vejo, tudo o que está acontecendo... pois ao redor não consigo enxergar além, do que meus limitados olhos não podem ver...
Na prosperidade, Ele está comigo, na adversidade também.
Ele tem a chave de tudo, o poder, o controle também...Como fez com Abraão, Izaque e Jacó, comigo fará também!
No jugo oposto ao seu, não deve se colocar, assim, Ele , não pode operar.
Não olhe com rancor, olhe para o que Deus vai fazer, com que tudo isso se transforme em amor.
Ele não opera uma vírgula para o nosso mal. Ame acima das dificuldades, ame acima das deficiências …

Imagens da Lembrança

Com imagens da infância comecei a lembrar, do tempo que eu era menina e comecei a chorar. Cai na caixa das lembranças, lembrei do teu olhar, verdes como esmeraldas, que saudade que dá.

Lembrei do tempo em que eu era menina, mas queria ser mulher.
Lembrei-me que pensava como menina, falava como menina, mas nem sempre agia como menina.
Hoje, sou mulher, com rosto de menina, deixei de pensar como menina e olho para trás.
O tempo passou, a vida mudou, mas o mundo continua o mesmo, ou melhor está cada vez pior, fugaz.
Jovens precoces, ideias e atos, cada vez avançam mais o sinal.

Mas, o fato hoje é outro. Quero apenas parar e lembrar que não é tarde para se sonhar.

Quero lembrar dos tempos das meninices, dos pega-pegas e esconde– escondes. Calma! Nessa época, pega-pegas , não passava de uma brincadeira de criança, tal como o passa-anel, a mãe da rua, a bugalha, as bolinhas de gude, as amarelinhas... meu Deus!!!
Será que as meninas de hoje se dão conta de como era bom, acho que não!

Mas como era b…